Alimentando o corpo e o espírito

Compartilhe

O turista é antes de tudo um ser curioso. Quer conhecer novos lugares, outras culturas, hábitos diferentes. Uma das melhores maneiras para descobrir isso é provando a diversidade culinária de cada canto que se visita. Comida é o maior legado cultural que um país pode produzir. O que seria do mundo se em cada cidade não existisse um restaurante alemão, uma pizzaria italiana? Um dos maiores prazeres de uma viagem é ter a oportunidade de provar uma iguaria típica de cada lugar.

Isso acompanha a gente para sempre. O estímulo de um sabor fica gravado em nossa memória afetiva. E aí, quando se come novamente, toda a agradável lembrança de uma viagem volta em questão de segundos, trazendo a mesma alegria daquele momento.

Uma boa maneira de desfrutar genuinamente a cultura de um lugar é experimentando a comida de rua. Não tiro o valor de um bom restaurante, apesar de achar que muitos forçam a barra, transformando a refeição em um artificial “parque temático”. Perde aí a leveza e a espontaneidade.

E quer saber? Quem está de férias tem mais é que comer tudo o que tem direito, sem culpa, e aproveitar esse delicioso aspecto pop que todo lugar no mundo tem a oferecer. Não aprecie nada com moderação: Caia de boca. (Só não se esqueça de levar na bagagem seus remedinhos, nem pegue muito pesado pouco antes de algum embarque).

Moinho De Gooyer, Amsterdam, Holanda


Stroopwafel: bolacha doce com recheio de caramelo, vendida em barraquinhas ou supermercados na Holanda.

London Eye, Londres, Inglaterra


Os enormes cookies ingleses: sabores variados, delícia a serviço de sua majestade, ajudam a espantar o vento frio no London Eye.

Portão de Brandemburgo, Berlim, Alemanha


Currywurst: divinas salsichas alemãs polvilhadas com curry acompanhadas de batatas fritas, maionese, muito catchup e rodelas de pão. É sentar em um banco do Tiergarten e admirar o Portão de Brandemburgo.

Scotish Monument, Edimburgo, Escócia


Os famosos butter cookies e o Scotish Monument: Todo mundo compra pelo menos uma latinha para dar de presente. Se não na Escócia, pelo menos no Duty Free do aeroporto.

Piazza il Campo, Siena, Italia


Pizza: Bastante apimentada, ideal para ser degustada na Piazza Il Campo em Siena. Há muito deixou de ser italiana para se transformar em patrimônio da humanidade.

Estreito de Bósforo, Istambul, Turquia


O chá: verdadeira instituição turca, servido no barco em Istambul em pleno Estreito de Bósforo.

Rue de la Montagne, Bruxelas, Bélgica


Pommes Frites belgas:as melhores do mundo,servidas em enormes porções com muita maionese e… chuva.

Catedral de Chartres, Chartres, França


Os macarons de Chartres: com os mais diferentes recheios e em cores variadas.

Mitropoleos, Atenas, Grécia


Koulouri: As saborosos roscas gregas, cobertas com gergelim, recheadas ou não, salgadas ou doces.

Provoque ainda mais sua fome visitando este outro post sobre “comida de rua”: http://viajantecronica.com/2010/05/29/podrao-internacional-de-qualidade/

2 thoughts on “Alimentando o corpo e o espírito”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *